quarta-feira, 3 de abril de 2013

Salve-se quem puder





Ela é bonita, já dizia Gonzaguinha. Ela é o novo, o feio e o belo num mesmo momento. Um infinito contentamento. Mudanças desmedidas, essa é a vida. Nos apresenta e nos presenteia, plena, rica e cheia. Nos joga pro alto e nos atira no chão em questão de segundos, basta que tropecemos e perdemos o rumo, cadê a direção?
A vida é o inesperado e salve-se quem puder. Salve-se do mau humor, salve-se da negatividade e do egoísmo. Mergulhe na alegria, no que te faz sorrir e te agrega. E se pintar um clima, rolar uma rima, se joga que a vida é agora.

Meire Oliveira



Cartas de fora para dentro - carta 2

Quando pequena achava que só se nascia uma vez, mas quando cresci descobri que temos muitas vidas em uma. Que é preciso subtrair o p...