sábado, 13 de outubro de 2012

Afinidades e vibrações






A cada raiar do dia temos em nossas mãos a oportunidade de mudar o caminho, de estreitar nossa visão ou ampliá-la de maneira sensata. É uma responsabilidade grande que temos e o único sinal que devemos seguir são as batidas do nosso coração, é o querer verdadeiro de nossa alma. Estar em afinidade com o Universo é afinar-se consigo mesmo. Não é mandar flores para agradar, mas mandar flores porque em nosso íntimo sentimos o tocar dessa vontade, que nasce espontaneamente, sem esperar buquês de volta, mas apenas pela alegria de colocar em prática a arte de amar.
O amor é a vibração mais pura. Não possuímos pessoas, família, amigos ou namorado. A única coisa que nos pertence realmente é o sentimento que temos por eles. E isso é uma junção do que somos capazes de sentir com o que as pessoas são capazes de despertar, lembrando que atraímos reflexos de nós mesmos e que algumas vezes tem gente que entra em nosso caminho para nos ensinar algo. Por isso a vida dá um jeitinho de trazer para perto pessoas mais parecidas com o que estamos nos tornando e levando para longe pessoas parecidas com quem fomos um dia. A alma é um imã e reconhece laços antigos também; o que traz brilho à nossa caminhada.
Uma outra maneira de afinar nossas vibrações é não nos culparmos por erros passados ou presentes, mas seguir em frente de cabeça erguida e com confiança  plena de que merecemos só o bem, pois atraímos para nossa vida só o que nossas crenças dizem que merecemos. É ter flexibilidade com a gente e com o outro.
Todos os dias nos deparamos com muitas energias, e se somos extremamente sensíveis elas vão se acumulando e podem até mesmo nos deixar doentes quando caímos em suas teias. Quando começamos a apurar nossos sentidos, conseguimos com mais facilidade perceber a energia de outras pessoas ou ambiente. Desse modo, há pessoas e ambientes dos quais nos afastamos, pois não condizem com nossa vibração atual. Mas há ainda as situações inesperadas que acontecem, para isso vale muito praticar a meditação todos os dias, para nos manter em equilíbrio. Existem milhares de técnicas e é uma maneira de entrarmos em contanto com nosso EU superior, analisarmos situações e aumentar nossa frequência vibratória.
Quando começamos a praticar a meditação, começamos a sentir o auto-amor que é essencial para nossa saúde física e emocional. Ninguém dá o que não tem, portanto só consegue amar com transparência quem pratica o auto-amor, pois pode doar-se sem medo. Assim poderá viver esse sentimento em sua totalidade dentro de si mesmo e o mundo exterior devolverá um espelho de amorosidade.
Manter essa afinidade toda com o Universo requer aprender a ressignificar olhares todos os dias, requer movimento em nossa vida. Coragem e compreensão. Requer cuidado. A vida é um jardim repleto de flores e temos que aprender a regar aquelas que mais nos fazem bem, seguir pela estrada com a autoconfiança aprumada e muita fé. 
Tudo aquilo que colocamos atenção o Universo nos devolve em dobro. Se vivemos dizendo que a vida não está boa e gritando isso aos quatro ventos, ela vai nos mandar ainda mais motivos para continuarmos construindo um muro de lamentações. Se focamos em nossos medos vamos viver emanando uma energia pesada e prejudicando somente a nós mesmos. Mas se conseguimos enxergar as pequenas coisas, as alegrias diárias, entrando em contato de maneira suave também com a natureza e enchendo nossos pulmões de ar puro e gratidão ela nos encherá de presentes maravilhosos.
Aprenda com os tropeços, não se revolte, coloque a luz da razão em cada pedaço da vida, que muita coisa irá clarear em sua mente. Se ame para amar o mundo que o Universo te envolverá num abraço de bênçãos.

Que tua luz própria seja teu maior guia, e a paz sua companheira de todas as horas.

Meire Oliveira


Cartas de fora para dentro - carta 2

Quando pequena achava que só se nascia uma vez, mas quando cresci descobri que temos muitas vidas em uma. Que é preciso subtrair o p...