quarta-feira, 25 de julho de 2012

Tradução de sentires

 




Existem mil teorias sobre o amor, sobre ser feliz e sobre como se deve levar a vida. Palavras que o vento traz e que ele mesmo leva, num constante e delicado movimento. Não sei colocar em palavras sentires, mas carrego em mim a teimosia suficiente pra tentar. Algumas palavras têm o poder de abraçar sem braços, algumas até nos fazendo quase sentir o compasso do outro coração junto ao nosso.

Nunca tive a ambição do entendimento, mas me envolvo no sentir que sabe traduzir qualquer linguagem, principalmente a do olhar que dispensa qualquer explicação, apenas eterniza momentos.

Tocar com palavras é entender da magia exata que todos carregamos em nós, uns em doses mais elevadas que brotam em amor ao próximo. 

De dissabores a encantamentos cada escrita traduz pedaços da alma de quem escreve. É isso o que me envolve, me comove, me enlaça e me devolve com uma grandeza maior de mim mesma e de tudo o que me cerca. 

Conjugo o verbo escrever com vários outros juntos: amo, sinto, vejo por isso nasço e renasço em palavras que palpitam em mim.


Meire Oliveira

domingo, 15 de julho de 2012

Infinitos de mim






Caminhando sinto as pegadas ficando pra trás com traços que me pertencem. São passos que eram diferentes, andavam apressados, querendo chegar a um lugar incerto. Queriam chegar a um lugar fora de mim. Depois de um longo tempo hoje meus passos sabem chegar até meu coração que é onde tenho morada fixa, onde pertenço totalmente a mim, onde me abraço, me desfaço e me refaço.

A olhar o que fui ontem enxergo uma miragem que não me assusta ou causa estranhamento, apenas sinto uma distância, mas ao mesmo tempo amor por tudo que fui, porque sei que em cada momento fiz o melhor que pude e por tudo SOU no presente da maneira mais inteira. E não vejo só as lamentações, mas as conquistas que celebrei. 

Sou feita de tristezas e alegrias, sou doçura ácida, meiga com a braveza de uma leoa, sou o infinito que mora em minha alma de uma ponta à outra. Viver é um eterno descobrir-se e redescobrir-se, e isso é o que traz encanto a dança da vida.

A maior benção que posso dar e receber é amor, o resto vem somente da mesma fonte que ele, do fundo de meu ser. Vivo de asas sempre abertas e no meu jardim tem sempre mais espaço pra renascimentos.
Plantar levezas é entender das aventuras que podemos viver quando se aprende a voar fora e dentro de si.



Meire Oliveira


segunda-feira, 2 de julho de 2012

Da contadora de histórias que tocam a alma





"A melhor visão é a da alma e essa nem todos sabem que tem."
Emiliana Vaz

O que buscamos constantemente fora, está dentro de nós. O que achamos ter perdido precisa pouco pra ser encontrado. Nada mais que cuidados com a gente, nada mais que fineza no trato com o outro. A gentileza e o amor foram simplesmente banalizados e escondidos por trás de máscaras, de rusgas e fusquinhas, do medo de gente.

Mas no mesmo mundo que existe condenação ao amor existe também quem tenha o coração repleto dele pra si e para aqueles que o cercam. Pessoas que não só analisam o mundo ao seu redor, mas o mundo dentro de si mesmas, buscando sempre melhorar. Eu gosto de chamar essas almas de dispostas e acho uma qualidade preciosa pro ser humano hoje em dia, pois geralmente as pessoas têm uma cabeça fechada pra qualquer coisa nova ou diferente do que viveram sua vida inteira, vivendo por tempo demasiado numa jaula trancada chamada mente.

Todas essas palavras são pra dizer dela, da que conta histórias que me prendem o fôlego do começo ao fim da leitura, da que escreve textos que me alcançam o coração de uma maneira que poucos conseguem. Da lindeza chamada Emiliana Vaz, que conquistou meu carinho pelo zelo e apoio, a que carrego como um dos meus pontos de luz pertinho da alma e tenho como mãe de coração. Ela é um exemplo de alma disposta e muitas vezes ler algo que ela conta da vida dela me emociona bastante. 

Admiro gente assim: de verdade, que sente, que sofre, que vive a vida da sua maneira única e singular. Porque a vida é um presente, portanto temos que dar o rumo que agrade nosso coração e não esperar que as flores do nosso jardim cresçam se não as regamos. Milagres e mágicas existem sim, mas só se acreditamos e trabalhamos para que floresçam.


Pela tua fortaleza, sensibilidade, carinho e amizade, minha gratidão e amor infinitos.

Que a paz seja tua companheira sempre.


O blog da contadora de histórias: http://historiasdeemilia.blogspot.com.br/

Meire Oliveira

Cartas de fora para dentro - carta 2

Quando pequena achava que só se nascia uma vez, mas quando cresci descobri que temos muitas vidas em uma. Que é preciso subtrair o p...